Energia

Solar21 Condomínios

Estruturado por Solar21

Rentabilidade Alvo Rentabilidade Alvo: 16.50% a.a

Investimento Mínimo Valor da Cota: R$ 25.000,00

Valor captado Valor captado: R$ 1.200.000,00

Prazo Participação: 1.87% por cota

Pagamento Dividendo projetado: R$300,00/mês + reajustes por cota

Modalidade Modalidade: Equity

Dias restantes Captação encerrou em 29/04/2020

Status: 100.00% captado
R$ 1.200.000
Alvo

Sobre o investimento

O OFERTANTE

A Solar21 é uma empresa focada em oferecer planos de assinatura de energia solar, com instalação dos painéis no próprio telhado do cliente. Para isso oferece como diferencial o aluguel e manutenção de todos os equipamentos, assim como o monitoramento de toda a performance através do seu aplicativo. Baixe aqui uma apresentação completa da empresa.


O INVESTIMENTO

Nesta captação os investidores serão sócios da Solar21 em uma empresa (SPE S/A) proprietária de 13 usinas solares. As usinas estão ou serão instaladas dentro de condomínios na cidade de Brasília/DF e Salvador/BA, possuindo com o mesmo contrato de locação de longo prazo.


Tipo de operaçãoEquity na SPE SOLAR21 01
Aluguel mensal médioR$ 18.600,00
Lucro Líquido Média MensalR$ 14.300,00
ParticipaçãoInvestidores: 90% | SOLAR21: 10%
Previsão de pagamento dos dividendosNov/2020
Reajuste anual70% do reajuste da concessionária
TIR Investidor16,5% ao ano / 1,2% ao mês
Cotas disponíveis48
Participação por cota1,87% da SPE
Dividendo projetadoR$300,00/mês + reajustes por cota
Distribuição de dividendosMensal
Imposto de RendaLivre (dividendos)



OS ATIVOS - USINAS SOLARES

Potência total 307kWp
9 usinas novas Total de 222kWp
4 usinas operacionais Total de 85kWp
Marca usinas novas Módulo Trina e inversor Goodwee ou equivalentes
Marca usinas operacionaisInversor Fronius e Módulo Canadian
Tipo de unidadeCondomínio Residencial
Tipo de instalaçãoLocal, no telhado do cliente
Monitoramento100% monitoradas via app e Plataforma Smart O&M
Estimativa de vida útil+25 anos
LocalizaçãoSalvador/BA e Brasília/DF



POR QUE INVESTIR

Renda passiva, equivalente a 4x o aluguel de um imóvel residencial

Investimento em ativo real, não correlacionado com a volatilidade do mercado financeiro

Ativos solares assegurados 

Contratos de aluguel de longo prazo 

Proteção contra inflação: Reajuste anual atrelado ao reajuste da energia

Clientes bons pagadores: condomínios residenciais

Baixa inadimplência: 0% de inadimplemento dos 4 contratos atuais em operação 

Estrutura horizontalizada: pagamentos pulverizados distribuídos entre diversos clientes

Aumento de performance e durabilidade através da gestão inteligente dos ativos pela Plataforma Solar360˚


SAIBA MAIS

É possível acompanhar as usinas operacionais em tempo real através do aplicativo da Solar21 disponível no Google Play e AppStore. Busque por Solar21, baixe o aplicativo  e insira usuário ("solar@solar21.com.br") e senha ("monitoramento").

Entenda neste vídeo o porquê os condomínios contratam a Solar21!




Principais Dúvidas sobre o investimento

É uma Cleantech fundada em 2017 com a missão de simplificar o acesso a energia solar. Oferecem planos de assinatura de energia solar (ou aluguel solar), com instalação no próprio telhado do cliente, dispensando investimento, através de contratos de longo prazo e monitoramento de economia em tempo real.

Possui um time de engenheiros das melhores universidades do Brasil, como USP e IME. Mais detalhes, acesse: https://www.solar21.com.br/sobre-nos

Destaques:

  • Rodada anjo em 2017 (BRL 110k)
  • Rodada de sucesso no Kria (BRL +500k). +150 investidores
  • App de monitoramento próprio para plantas de aluguel
  • Plataforma de Smart O&M em fase final de desenvolvimento
  • +400kWp de potência instalada: usinas instaladas (venda e aluguel) em 4 estados: RJ, SP, DF e BA.
  • Reportagem Folha de SP aqui

A partir de 2012 entrou em vigor no Brasil o Sistema de Compensação de Energia (ou Net Metering), regulado pela ANEEL. Ou seja, cada unidade consumidora pode gerar sua própria energia através da fonte solar ou outra fonte renovável. Esse tipo de geração em centros urbanos é uma tendência mundial e é chamada de Geração Distribuída (GD). Nessa situação do Net metering, é possível que o consumidor se torne um "auto gerador" ao implantar sua usina solar e conectá-la na rede da concessionária. Ou seja, se a usina produz mais que o necessário, esse excesso é exportado para a distribuidora contabilizando os créditos. Se a produção for menor que o necessário, a concessionária fornece para cobrir o déficit. É como se fossem duas fontes de energia trabalhando em conjunto (a usina solar e a concessionária), com a solar podendo exportar para a concessionária (funcionando como um armazenador de energia).

Nesse contexto, ao se tornar auto produtor pela solar, a conta de energia diminui em até 90/95%. O restante é o custo mínimo obrigatório, que é chamado de custo de disponibilidade.

No aluguel, essa economia é dividida entre a Solar21 e o cliente. 65% em média vão para a Solar21 pelo "aluguel solar" e 25%/30% fica de economia para o cliente. O interessante é que o cliente não precisa contrair empréstimo ou se descapitalizar. O investimento é 100% da Solar21, desde a implantação a manutenção. A economia do cliente é imediata (no mês seguinte a ativação) e não há que se falar em payback. A Solar21 é um agente redutor de despesas do cliente.

Reforçando que a Solar21 trabalha com a modalidade de Geração Local (telhado do cliente), ou seja, o sistema é instalado no próprio telhado do cliente. No Brasil, atualmente, cerca de 80% da potência instalada é em telhado, segundo a ANEEL.

Todas as Usinas são projetadas dentro da legislação atual que não tem nenhuma "taxa extra". O que vale é a regra atual. No entanto, levando em conta uma possível mudança na legislação, o impacto será minimizado para a modalidade GD local, que é o caso da Solar21, onde a geração e consumo são no mesmo local, no imóvel do cliente.

Para a GD remota, geração e consumo em locais distintos, o impacto será maior.

Mas de qualquer forma, para as duas modalidades, a "taxa solar" referente ao uso do sistema de distribuição + encargos, só valerá para projetos futuros.

  • 4 usinas em operação: Condomínio Reserva Taguatinga no DF (são 3 torres) + Condomínio Boulevard Cidade Jardim (1 Torre)
  • 9 usinas a construir: Condomínio Reserva Taguatinga no DF (mais 6 torres) + 3 torres em Salvador: Palazzo Ravena, Edifício Veneza e Cidade Jardim Palace.
  • Os 9 contratos estão assinados. Os projetos com as concessionárias estão em andamento.
  • 3 torres com contratos de 7 anos (com renovação automática). Aqui são as 3 torres novas de Salvador.
  • 10 torres com contratos de 5 anos (com renovação automática)

São 13 contratos/projetos, dos quais 4 já estão operacionais há mais de 9 meses e 9 serão implementados.

CONTRATO 1 – Reserva Taguatinga Torre Itamaraty C: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 2 – Reserva Taguatinga Torre Itamaraty B: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 3 – Reserva Taguatinga Torre Esplanada A: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 4 – Edf. Veneza: Prazo de 7 anos (Salvador – BA)
  • Tempo de construção de todas as torres: máximo de 5 meses
  • Estimativa de início de faturamento em nov/20
  • Equipamentos dos novos contratos ainda não foram fechados com o fornecedor, mas é provável que sejam módulos trina e inversor Huawei.
  • Equipamentos dos contratos atuais: módulo Canadian e inversor Fronius.
  • Inadimplência:
    • Hoje a taxa de inadimplência é zero. A Solar21 entende ser de baixo risco, pois condomínios são perenes e casos de falência são desconhecidos.
    • Outro ponto que diminui esse fator é que o produto oferece redução de despesas. Por exemplo: anteriormente ele gastava R$ 2 mil por mês com a concessionária, mas agora gasta R$ 200 com ela e R$ 1200 com a Solar21, totalizando R$ 1400, com economia total de 30% no valor mensal gasto com energia.
    • Mas se houver inadimplência, existe uma multa contratual de 2% e juros de 1% ao mês sobre o valor devido. Com a devida suspensão dos serviços caso se prolongue por mais de 90 dias, o contrato pode ser rescindido com multa de rescisão equivalente a 10% das parcelas a vencer, acrescida da taxa de desinstalação (valor em contrato).
  • Não renovação:
    • O contrato conta com um dispositivo de renovação automática por igual período, salvo manifestação contrária do cliente antes de 90 dias do encerramento.
    • 6 meses antes do encerramento, o time de vendas irá monitorar de perto para convencer o cliente da renovação. Com uma boa relação e dando economia para o cliente. A não renovação é muito remota.
    • Na pior das hipóteses, se o cliente não renovar, já existirá um novo cliente pra alocar os equipamentos. Lembrando que as usinas são pequenas. Estima-se um downtime de no máximo 2 ou 3 meses para desativação e ativação em outro cliente.  O custo previsto é de 0,15/Wp pra desinstalação. Pode-se usar o fundo de reserva da SPE para isso, lembrando que existe tempo para essa manobra, caso haja.
Sim! Existem 3 formas do investidor "liquidar" o seu investimento.

a. Mercado Secundário Direto: Assim como em um imóvel, ou em qualquer participação em empresa, você pode negociar diretamente com algum interessado e vender sua participação. É de obrigação do vendedor informar a mudança de titularidade da participação para a Solar21.

b. Drag Along: Considerando que a Solar21 é uma empresa com larga atuação nesse segmento e seguirá como sócia da SPE, ela poderá receber uma oferta por esta SPE de um Fundo de Investimento, ou alguma concessionária de energia (por exemplo), nesse caso, o acordo de acionistas irá contemplar obrigação de venda conjunta caso a partir do ano 06 a SPE receba proposta do mercado com múltiplo de 1,5x o valor patrimonial da empresa.

c. Possível Venda: Uma possível venda da usina para o próprio cliente. Lembrando que o funding levantado nessa venda pode ser alocado na compra de outra usina para suprir outro contrato de locação.

RAZÃO SOCIAL: SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A
NOME FANTASIA: SOLAR21 SPE 01
CNPJ: 36.823.575/0001-51

A operação será efetivada através de um veículo de investimento recém constituído, SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A, CNPJ 36.823.575/0001-51. regida nos termos da LEI DAS S/A n. 6404/76.

A. Por que uma Sociedade Anônima?

A lei das S.A. é antiga e muito bem sedimentada perante o Judiciário, sendo entendida como uma ferramenta que protege os investidores em diversos aspectos, principalmente no que tange a segregação de passivos como; problemas individuais de cada acionista e problemas da empresa, trabalhistas, fiscais, execuções, etc.

B. O Contrato de investimento X Conversão em Participação

Os investidores ao aderirem a operação receberão um CONTRATO DE INVESTIMENTO CONVERSÍVEL nos termos da ICVM 588.
Este contrato é um Título de Valor Mobiliário, que pode ser encontrado nos documentos essenciais da oferta e aborda todos os direitos do investidor, especialmente as cláusulas de DRAG ALONG / TAG ALONG e a conversão em participação na SPE proporcional a quantidade de cotas adquiridas.
Em até 6 meses, a SOLAR 21, providenciará junto aos investidores a conversão do seu DIREITO em PARTICIPAÇÃO na SPE, de forma que os acionistas possam receber os aluguéis através da DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS.

C. Por que até 6 meses?

Esse é o prazo máximo estimado para todas as novas usinas estarem instaladas e em pleno funcionamento.

D. Mas não tem usinas já funcionando?

Existem 4 usinas em operação, totalizando 85kWp. Uma delas há mais de 2 anos e 3 delas há mais de 9 meses. A receita delas totaliza R$ 5.400,00/mês. Após o encerramento da captação, essa receita passará a ser recebida pela SPE (que o investidor será sócio) e ficará depositado em conta remunerada até a conversão das participações. Será distribuído proporcionalmente a participação dos sócios no mês 7.

Pelo aplicativo da Solar21 é possível monitorar tanto a produção de energia quanto as economias do cliente. No final da página do site da Solar21, você consegue baixar o aplicativo, para Android ou IOS.

Atualmente você consegue monitorar as 4 usinas.

Credenciais de acesso:
login: solar@solar21.com.br
senha: monitoramento

Detalhes da Oferta


Para obter mais informações, incluindo a Minuta do Contrato de Investimento

Cadastre-se ou Acesse sua conta

Investidores

42 pessoas investiram até o momento

D

A

M

M

A

G

A

J

A

D

L

R

A

L

M

S

G

F

L

+18

Dúvidas Frequentes

1 Este investimento é regulado pela CVM?

Sim, todos os investimentos ofertados através da Bloxs são regulados pela CVM através da Instrução CVM 588, a qual disciplina o funcionamento das plataformas eletrônicas de investimento coletivo.

2 O que acontece se o valor a ser captado não for atingido?

Caso o valor alvo mínimo, equivalente a ⅔ do valor alvo máximo, não seja captado até o fim do prazo da oferta, o dinheiro é devolvido aos investidores.

3 Qualquer um pode investir?

Sim, qualquer pessoa, maior de idade e que possua CPF pode investir. É possível também o investimento através de empresas/patrimoniais. Para estes casos, pedimos que entrem em contato conosco através do nosso e-mail contato@bloxs.com.br.

4 Quanto posso investir?

Você pode começar a investir a partir de R$ 25.000,00

5 Com base em que critérios os projetos são selecionados para a plataforma?

Os projetos são selecionados com base em 3 critérios: A situação financeira do empreendedor; A viabilidade econômica do empreendimento; A rentabilidade oferecida ao investidor.

6 Como garanto meu investimento?

O investidor se cadastra na plataforma, analisa o projeto que está com a captação aberta, define o valor que irá investir e realiza a transferência bancária para a conta de um agente custodiante independente. A partir do momento que for atestada a transferência, o usuário receberá em até 5 dias úteis após encerrada a oferta o contrato assinado. O investimento pode ser acompanhado pelo Painel individual de cada usuário. Este espaço irá prover todos os contratos e informações necessárias referentes ao investimento realizado.

7 Como receberei o retorno do investimento?

Operações do tipo DÍVIDA:
Você receberá o retorno do seu investimento diretamente na sua conta bancária cadastrada na Bloxs.

Operações do tipo EQUITY:
O retorno do investimento realizado ocorre através da distribuição de dividendos e também por meio de venda da empresa/projeto investido.

8 Como irei acompanhar as informações do projeto?

Todas as empresas que captam investimento por meio da plataforma Bloxs são obrigadas a fornecer atualizações aos seus investidores, ao longo da duração do projeto. Nos casos de operações de EQUITY, as informações ficarão disponíveis até a conversão do contrato de investimento em ações da empresa ofertante. Após a conversão, as empresas emissoras deverão prover por seus próprios meios as informações pertinentes ao andamento do negócio/projeto.

9 Como será a tributação sobre o meu investimento e como declarar isso no meu Imposto de Renda?

Operações de DÍVIDA:
O investimento é juridicamente considerado um empréstimo para o empreendedor. Assim sendo, o imposto é retido diretamente na fonte, ou seja, o recolhimento do imposto é de responsabilidade do empreendedor. Você deverá declarar o seu investimento na seção "Bens e direitos" como empréstimo, classificando-o como "rendimentos sujeitos à tributação exclusiva na fonte". No momento do recebimento, o ofertante irá reter o Imposto de Renda equivalente, a depender do período da operação, como pode ser visto na tabela abaixo:

Período Alíquota
até 6 meses 22,50%
de 6 meses a 1 ano 20,00%
de 1 ano a 2 anos 17,50%
mais de 2 anos 15,00%


Operações de EQUTY:
Após a conversão em quotas o investidor passa a ser sócio da empresa ofertante, cuja declaração deverá ser efetuada na seção "Bens e Direitos".
Os dividendos distribuídos aos sócios são isentos de imposto de renda. Sob eventual ganho de capital em caso de alienação das quotas, incidirá 15%.

10 Quando e onde receberei meu contrato?

Seu contrato de investimento é disponibilizado na plataforma em até 5 dias úteis após o fechamento da oferta.

Quem é o estruturador?

Solar21
Solar21

Cleantech focada em serviços de energia solar para casas, condomínios e comércios. Um dos pioneiros do Brasil na modalidade de "aluguel solar". Acredita no conceito de "Solar as a Service" e quer revolucionar a maneira como as pessoas consomem energia, melhorando a sustentabilidade urbana com opções mais sustentáveis, conscientes, acessíveis e econômicas.

Site: Acessar

Regulado por:

CVM

Plataforma autorizada pela CVM de acordo com o Ato Declaratório 16.489, de 19/7/2018.

As sociedades empresárias de pequeno porte e as ofertas apresentadas nesta plataforma estão automaticamente dispensadas de registro pela Comissãode Valores Mobiliários - CVM. A CVM não analisa previamente as ofertas. As ofertas realizadas não implicam por parte da CVM a garantia da veracidade das informações prestadas, de adequação à legislação vigente ou julgamento sobre a qualidade da sociedade empresária de pequeno porte.