Solar21 Condomínios

Opção de Investimento Alternativo - Solar21 Condomínios
  • Encerrada
  • Energia

Compartilhar oferta

Energia

Solar21 Condomínios

Rentabilidade Alvo (TIR)

16.50% a.a

Valor da Cota

R$ 25.000,00

Valor Captado

R$ 1.200.000,00

Participação

1.875% por cota

Pagamentos Projetados

R$300,00/mês + reajustes por cota

Modalidade

Equity

Status

Encerrou em 29/04/2020

Apresentação Resumo

Baixar

Status: Alvo Máximo Atingido
cotas adquiridas
reservas ativas
R$ 1.200.000
Alvo Mínimo e Máximo

Sobre o Investimento

O OFERTANTE

A Solar21 é uma empresa focada em oferecer planos de assinatura de energia solar, com instalação dos painéis no próprio telhado do cliente. Para isso oferece como diferencial o aluguel e manutenção de todos os equipamentos, assim como o monitoramento de toda a performance através do seu aplicativo. Baixe aqui uma apresentação completa da empresa.


O INVESTIMENTO

Nesta captação os investidores serão sócios da Solar21 em uma empresa (SPE S/A) proprietária de 13 usinas solares. As usinas estão ou serão instaladas dentro de condomínios na cidade de Brasília/DF e Salvador/BA, possuindo com o mesmo contrato de locação de longo prazo.


Tipo de operaçãoEquity na SPE SOLAR21 01
Aluguel mensal médioR$ 18.600,00
Lucro Líquido Média MensalR$ 14.300,00
ParticipaçãoInvestidores: 90% | SOLAR21: 10%
Previsão de pagamento dos dividendosNov/2020
Reajuste anual70% do reajuste da concessionária
TIR Investidor16,5% ao ano / 1,2% ao mês
Cotas disponíveis48
Participação por cota1,87% da SPE
Dividendo projetadoR$300,00/mês + reajustes por cota
Distribuição de dividendosMensal
Imposto de RendaLivre (dividendos)



OS ATIVOS - USINAS SOLARES

Potência total 307kWp
9 usinas novas Total de 222kWp
4 usinas operacionais Total de 85kWp
Marca usinas novas Módulo Trina e inversor Goodwee ou equivalentes
Marca usinas operacionaisInversor Fronius e Módulo Canadian
Tipo de unidadeCondomínio Residencial
Tipo de instalaçãoLocal, no telhado do cliente
Monitoramento100% monitoradas via app e Plataforma Smart O&M
Estimativa de vida útil+25 anos
LocalizaçãoSalvador/BA e Brasília/DF



POR QUE INVESTIR

Renda passiva, equivalente a 4x o aluguel de um imóvel residencial

Investimento em ativo real, não correlacionado com a volatilidade do mercado financeiro

Ativos solares assegurados 

Contratos de aluguel de longo prazo 

Proteção contra inflação: Reajuste anual atrelado ao reajuste da energia

Clientes bons pagadores: condomínios residenciais

Baixa inadimplência: 0% de inadimplemento dos 4 contratos atuais em operação 

Estrutura horizontalizada: pagamentos pulverizados distribuídos entre diversos clientes

Aumento de performance e durabilidade através da gestão inteligente dos ativos pela Plataforma Solar360˚


SAIBA MAIS

É possível acompanhar as usinas operacionais em tempo real através do aplicativo da Solar21 disponível no Google Play e AppStore. Busque por Solar21, baixe o aplicativo  e insira usuário ("solar@solar21.com.br") e senha ("monitoramento").

Entenda neste vídeo o porquê os condomínios contratam a Solar21!




Principais Dúvidas sobre o investimento

É uma Cleantech fundada em 2017 com a missão de simplificar o acesso a energia solar. Oferecem planos de assinatura de energia solar (ou aluguel solar), com instalação no próprio telhado do cliente, dispensando investimento, através de contratos de longo prazo e monitoramento de economia em tempo real.

Possui um time de engenheiros das melhores universidades do Brasil, como USP e IME. Mais detalhes, acesse: https://www.solar21.com.br/sobre-nos

Destaques:

  • Rodada anjo em 2017 (BRL 110k)
  • Rodada de sucesso no Kria (BRL +500k). +150 investidores
  • App de monitoramento próprio para plantas de aluguel
  • Plataforma de Smart O&M em fase final de desenvolvimento
  • +400kWp de potência instalada: usinas instaladas (venda e aluguel) em 4 estados: RJ, SP, DF e BA.
  • Reportagem Folha de SP aqui

A partir de 2012 entrou em vigor no Brasil o Sistema de Compensação de Energia (ou Net Metering), regulado pela ANEEL. Ou seja, cada unidade consumidora pode gerar sua própria energia através da fonte solar ou outra fonte renovável. Esse tipo de geração em centros urbanos é uma tendência mundial e é chamada de Geração Distribuída (GD). Nessa situação do Net metering, é possível que o consumidor se torne um "auto gerador" ao implantar sua usina solar e conectá-la na rede da concessionária. Ou seja, se a usina produz mais que o necessário, esse excesso é exportado para a distribuidora contabilizando os créditos. Se a produção for menor que o necessário, a concessionária fornece para cobrir o déficit. É como se fossem duas fontes de energia trabalhando em conjunto (a usina solar e a concessionária), com a solar podendo exportar para a concessionária (funcionando como um armazenador de energia).

Nesse contexto, ao se tornar auto produtor pela solar, a conta de energia diminui em até 90/95%. O restante é o custo mínimo obrigatório, que é chamado de custo de disponibilidade.

No aluguel, essa economia é dividida entre a Solar21 e o cliente. 65% em média vão para a Solar21 pelo "aluguel solar" e 25%/30% fica de economia para o cliente. O interessante é que o cliente não precisa contrair empréstimo ou se descapitalizar. O investimento é 100% da Solar21, desde a implantação a manutenção. A economia do cliente é imediata (no mês seguinte a ativação) e não há que se falar em payback. A Solar21 é um agente redutor de despesas do cliente.

Reforçando que a Solar21 trabalha com a modalidade de Geração Local (telhado do cliente), ou seja, o sistema é instalado no próprio telhado do cliente. No Brasil, atualmente, cerca de 80% da potência instalada é em telhado, segundo a ANEEL.

Todas as Usinas são projetadas dentro da legislação atual que não tem nenhuma "taxa extra". O que vale é a regra atual. No entanto, levando em conta uma possível mudança na legislação, o impacto será minimizado para a modalidade GD local, que é o caso da Solar21, onde a geração e consumo são no mesmo local, no imóvel do cliente.

Para a GD remota, geração e consumo em locais distintos, o impacto será maior.

Mas de qualquer forma, para as duas modalidades, a "taxa solar" referente ao uso do sistema de distribuição + encargos, só valerá para projetos futuros.

  • 4 usinas em operação: Condomínio Reserva Taguatinga no DF (são 3 torres) + Condomínio Boulevard Cidade Jardim (1 Torre)
  • 9 usinas a construir: Condomínio Reserva Taguatinga no DF (mais 6 torres) + 3 torres em Salvador: Palazzo Ravena, Edifício Veneza e Cidade Jardim Palace.
  • Os 9 contratos estão assinados. Os projetos com as concessionárias estão em andamento.
  • 3 torres com contratos de 7 anos (com renovação automática). Aqui são as 3 torres novas de Salvador.
  • 10 torres com contratos de 5 anos (com renovação automática)

São 13 contratos/projetos, dos quais 4 já estão operacionais há mais de 9 meses e 9 serão implementados.

CONTRATO 1 – Reserva Taguatinga Torre Itamaraty C: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 2 – Reserva Taguatinga Torre Itamaraty B: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 3 – Reserva Taguatinga Torre Esplanada A: Prazo de 5 anos (DF)

CONTRATO 4 – Edf. Veneza: Prazo de 7 anos (Salvador – BA)
  • Tempo de construção de todas as torres: máximo de 5 meses
  • Estimativa de início de faturamento em nov/20
  • Equipamentos dos novos contratos ainda não foram fechados com o fornecedor, mas é provável que sejam módulos trina e inversor Huawei.
  • Equipamentos dos contratos atuais: módulo Canadian e inversor Fronius.
  • Inadimplência:
    • Hoje a taxa de inadimplência é zero. A Solar21 entende ser de baixo risco, pois condomínios são perenes e casos de falência são desconhecidos.
    • Outro ponto que diminui esse fator é que o produto oferece redução de despesas. Por exemplo: anteriormente ele gastava R$ 2 mil por mês com a concessionária, mas agora gasta R$ 200 com ela e R$ 1200 com a Solar21, totalizando R$ 1400, com economia total de 30% no valor mensal gasto com energia.
    • Mas se houver inadimplência, existe uma multa contratual de 2% e juros de 1% ao mês sobre o valor devido. Com a devida suspensão dos serviços caso se prolongue por mais de 90 dias, o contrato pode ser rescindido com multa de rescisão equivalente a 10% das parcelas a vencer, acrescida da taxa de desinstalação (valor em contrato).
  • Não renovação:
    • O contrato conta com um dispositivo de renovação automática por igual período, salvo manifestação contrária do cliente antes de 90 dias do encerramento.
    • 6 meses antes do encerramento, o time de vendas irá monitorar de perto para convencer o cliente da renovação. Com uma boa relação e dando economia para o cliente. A não renovação é muito remota.
    • Na pior das hipóteses, se o cliente não renovar, já existirá um novo cliente pra alocar os equipamentos. Lembrando que as usinas são pequenas. Estima-se um downtime de no máximo 2 ou 3 meses para desativação e ativação em outro cliente.  O custo previsto é de 0,15/Wp pra desinstalação. Pode-se usar o fundo de reserva da SPE para isso, lembrando que existe tempo para essa manobra, caso haja.
Sim! Existem 3 formas do investidor "liquidar" o seu investimento.

a. Mercado Secundário Direto: Assim como em um imóvel, ou em qualquer participação em empresa, você pode negociar diretamente com algum interessado e vender sua participação. É de obrigação do vendedor informar a mudança de titularidade da participação para a Solar21.

b. Drag Along: Considerando que a Solar21 é uma empresa com larga atuação nesse segmento e seguirá como sócia da SPE, ela poderá receber uma oferta por esta SPE de um Fundo de Investimento, ou alguma concessionária de energia (por exemplo), nesse caso, o acordo de acionistas irá contemplar obrigação de venda conjunta caso a partir do ano 06 a SPE receba proposta do mercado com múltiplo de 1,5x o valor patrimonial da empresa.

c. Possível Venda: Uma possível venda da usina para o próprio cliente. Lembrando que o funding levantado nessa venda pode ser alocado na compra de outra usina para suprir outro contrato de locação.

RAZÃO SOCIAL: SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A
NOME FANTASIA: SOLAR21 SPE 01
CNPJ: 36.823.575/0001-51

A operação será efetivada através de um veículo de investimento recém constituído, SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A, CNPJ 36.823.575/0001-51. regida nos termos da LEI DAS S/A n. 6404/76.

A. Por que uma Sociedade Anônima?

A lei das S.A. é antiga e muito bem sedimentada perante o Judiciário, sendo entendida como uma ferramenta que protege os investidores em diversos aspectos, principalmente no que tange a segregação de passivos como; problemas individuais de cada acionista e problemas da empresa, trabalhistas, fiscais, execuções, etc.

B. O Contrato de investimento X Conversão em Participação

Os investidores ao aderirem a operação receberão um CONTRATO DE INVESTIMENTO CONVERSÍVEL nos termos da ICVM 588.
Este contrato é um Título de Valor Mobiliário, que pode ser encontrado nos documentos essenciais da oferta e aborda todos os direitos do investidor, especialmente as cláusulas de DRAG ALONG / TAG ALONG e a conversão em participação na SPE proporcional a quantidade de cotas adquiridas.
Em até 6 meses, a SOLAR 21, providenciará junto aos investidores a conversão do seu DIREITO em PARTICIPAÇÃO na SPE, de forma que os acionistas possam receber os aluguéis através da DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS.

C. Por que até 6 meses?

Esse é o prazo máximo estimado para todas as novas usinas estarem instaladas e em pleno funcionamento.

D. Mas não tem usinas já funcionando?

Existem 4 usinas em operação, totalizando 85kWp. Uma delas há mais de 2 anos e 3 delas há mais de 9 meses. A receita delas totaliza R$ 5.400,00/mês. Após o encerramento da captação, essa receita passará a ser recebida pela SPE (que o investidor será sócio) e ficará depositado em conta remunerada até a conversão das participações. Será distribuído proporcionalmente a participação dos sócios no mês 7.

Pelo aplicativo da Solar21 é possível monitorar tanto a produção de energia quanto as economias do cliente. No final da página do site da Solar21, você consegue baixar o aplicativo, para Android ou IOS.

Atualmente você consegue monitorar as 4 usinas.

Credenciais de acesso:
login: solar@solar21.com.br
senha: monitoramento

Informações Essenciais sobre a Oferta Pública

1 TRIBUTAÇÃO

Após a conversão em ações o investidor passa a ser sócio da empresa ofertante, cuja declaração deverá ser efetuada na seção "Bens e Direitos". Os dividendos distribuídos aos sócios são isentos de imposto de renda. Sob eventual ganho de capital em caso de alienação das ações, incidirá 15%.

2 INFORMAÇÕES SOBRE A SOCIEDADE EMPRESÁRIA DE PEQUENO PORTE

SOCIEDADE EMPRESÁRIA DE PEQUENO PORTE:

SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A., sociedade empresária de pequeno porte, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 36.823.575/0001-51, com sede e domicílio no QMSW 5 Lote 10, Bloco A, Loja 20, Ed. Varandas do Sudoeste, Sudoeste, Brasília-DF, CEP 70.680-500, aqui representada pelo seu sócio VINÍCIUS FERRAZ REIS, brasileiro, solteiro, engenheiro eletricista, inscrito no CPF 018.523.135-79. A empresa pode ser contatada através do telefone (61) 98245-5583.

SETOR DE ATUAÇÃO E HISTÓRICO:

A SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S.A (S21 SPE) é uma Sociedade de Propósito Específico (SPE), controlada pela SOLAR 21 ENGENHARIA E ENERGIA LIMPA LTDA (S21), empresa com foco no desenvolvimento e estruturação de empreendimentos solares nos termos da Resolução ANEEL 687/2015. É uma empresa focada em oferecer planos de assinatura de energia solar, com instalação dos painéis no próprio telhado do cliente. Para isso oferece como diferencial o aluguel e manutenção de todos os equipamentos, assim como o monitoramento de toda a performance através do seu aplicativo

Mais informações: https://www.solar21.com.br/

SOCIEDADE E DIRETORES:

O capital social e patrimônio líquido da S21 SPE é de R$ 1.000,00 (mil reais), sendo uma SPE constituída como Sociedade Anônima (S/A) em 30/03/2020 com a finalidade de servir de veículo para investimento. A empresa não possui funcionários por ter as suas atividades executadas através de empresas contratadas.

SOLAR 21 ENGENHARIA E ENERGIA LIMPA LTDA, CNPJ 27.150.825/0001-49, é sócio e controlador da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, com 99,8% das ações. Atua no segmento de desenvolvimento e estruturação de empreendimentos solares (www.solar21.com.br). Seu Capital Social é de R$ 110.000,00, tendo iniciado suas operações em fev/17.

VINÍCIUS FERRAZ REIS, CPF 018.523.135-79 é sócio e diretor da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, com 0,1% das ações. Engenheiro eletricista formado pela USP. Atualmente como CEO da Solar21, possui 4 anos de experiência no ramo de Geração Solar Distribuída.

LUCAS SOUZA SAMPAIO NUNES, CPF 026.500.833-60 é sócio e diretor da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, com 0,1% das ações. É engenheiro da computação formado pelo IME. Atualmente como CTO da Solar21, possui 5 anos de experiência liderando projetos de Data Analysis e Data Engineering.

DIMAS URGAL, CPF 137.913.927-94 é diretor da SOCIEDADE EMPRESÁRIA. Atualmente como CFO da Solar21, possui 7 anos de experiência em consultoria, sendo especialista no setor elétrico, liderando processos de reequilíbrio da Usina de Angra 3 e na privatização de 6 distribuidoras do Sistema Eletrobrás.


3 INFORMAÇÕES SOBRE O PLANO DE NEGÓCIOS

Os investidores serão acionistas da SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S/A, empresa proprietária de 13 usinas solares. As usinas estão ou serão instaladas dentro de condomínios na cidade de Brasília/DF e Salvador/BA, possuindo com o mesmo contrato de locação de longo prazo.

Os valores aportados na SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S/A serão alocados na aquisição de 4 usinas solares já em operação pelo valor de R$ 423.000,00. O restante dos valores aportados servirão à construção das outras 9 usinas solares, com estimativa de 6 meses para sua conclusão. O retorno do investimento se dará com o pagamento mensal dos dividendos e uma potencial venda futura do conjunto de usinas.

Apesar dos 4 contratos operacionais já estarem faturando, os investidores começarão a receber dividendos após 6 meses do encerramento da captação. Este prazo é necessário para a conversão dos direitos do Contrato de Investimento em ações e posterior atualização do quadro societário da empresa.

Para mais informações consulte a MINUTA DO CONTRATO DE INVESTIMENTO, na seção PACOTE DE DOCUMENTOS JURÍDICOS.

Segue abaixo faturamento da SOCIEDADE EMPRESÁRIA previsto para os próximos 05 anos:

Faturamento para 2020: R$ 45.616,67

Faturamento para 2021: R$ 228.612,67

Faturamento para 2022: R$ 237.757,17

Faturamento para 2023: R$ 247.267,46

Faturamento para 2024: R$ 257.158,16


4 INFORMAÇÕES SOBRE O VALOR MOBILIÁRIO OFERTADO

Quantidade de valores mobiliários objeto da oferta: 48

Descrição do valor mobiliário ofertado: Contrato de Investimento

Espécie: Mútuo

Classe: Conversível

Preço unitário: R$ 25.000,00, que corresponderá a 1,87% de participação na SOCIEDADE EMPRESÁRIA

Valor alvo máximo da oferta: R$ 1.800.000,00

Valor alvo mínimo da oferta: R$ 1.200.000,00

Data de início da oferta: 06/04/2020

Data de encerramento da oferta: 06/06/2020, podendo ser encerrada antes, assim que se alcance o valor alvo mínimo da oferta.

Data de emissão do contrato: 07/06/2020, ou em até 05 dias úteis após o encerramento da oferta.

Caso seja captado um valor inferior a R$ 1.200.000,00 o dinheiro será devolvido a todos os investidores em até 7 dias úteis a contar da data de encerramento da oferta.

O valor mobiliário ofertado é título representativo de dívida conversível em participação no capital social da SOCIEDADE EMPRESÁRIA com direito a voto. O valor alvo mínimo da oferta corresponde a 120.000% do capital social da SOCIEDADE EMPRESÁRIA.

A SOCIEDADE EMPRESÁRIA na forma de Sociedade Anônima, deverá emitir novas ações, em nome do INVESTIDOR, que representem 1,87% de participação societária do seu total de ações para cada quota de R$ 25.000,00. 10% das ações permanecerão com os SÓCIOS-FUNDADORES. O INVESTIDOR, no ato de subscrição de suas ações, assinará o Termo de Adesão ao Acordo de Acionista vigente, elaborado conforme as regras estabelecidas neste contrato e em observância aos termos do art. 118 da Lei n.º 6.404, de 15 de dezembro de 1976.

O INVESTIDOR poderá alienar suas Ações ou o direito a sua subscrição decorrente do Contrato de Investimento a terceiro, desde que o faça por compra e venda em dinheiro, que notifique as demais partes deste Contrato, oferecendo aos SÓCIOS FUNDADORES o Direito de Preferência, conforme item 3.2 do Contrato de Investimento.

Se os SÓCIOS FUNDADORES receberem uma oferta de boa-fé de um terceiro para aquisição do bloco de controle da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, o INVESTIDOR poderá ser obrigado a vender a totalidade de suas Ações, nos mesmos termos e sob as mesmas condições aplicáveis ao controlador, conforme acordado entre o terceiro que fez a oferta e controlador da SOCIEDADE INVESTIDA (obrigação de venda conjunta ou Drag Along). O INVESTIDOR somente poderá ser obrigado a vender a totalidade de suas Ações se for garantido um retorno de no mínimo 1,5x (um virgula cinco vezes) o valor do investimento.


5 COMUNICAÇÃO DE INFORMAÇÕES PÓS-OFERTA

A SOCIEDADE EMPRESÁRIA obriga-se a elaborar e enviar ao INVESTIDOR: (i) mensalmente, o relatório financeiro de dividendos; e (ii) a cada 3 (três) meses, nas datas 10 janeiro, 10 abril, 10 julho e 10 outubro de cada ano o relatório financeiro e de gestão. Esse último deverá indicar, pelo menos, (a) quais as medidas que a administração da SOCIEDADE EMPRESÁRIA tem tomado no período com vistas a desenvolver o negócio e (b) as receitas, despesas e o resultado da SOCIEDADE EMPRESÁRIA no período. Esta obrigação será realizada através da PLATAFORMA minimamente até o momento da conversão do Contrato de Investimento em ações da SOCIEDADE EMPRESÁRIA.

6 ALERTA SOBRE RISCOS

DOS FATORES DE RISCO DO INVESTIMENTO NA SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S/A

Os fatores de risco do investimento na SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S/A não se limitam aos descritos abaixo:

1. Riscos associados ao investimento em cotas conversíveis de emissão de sociedade empresária de pequeno porte

1.1. Riscos relacionado à liquidez: Caso o investidor queira vender seus contratos de mútuo ou suas ações (após conversão), somente poderá negociá-los em mercado privado, o que pode resultar na dificuldade para os investidores interessados em alienar seus contratos de mútuo. Assim sendo, o investidor que adquirir os contratos de mútuo da SOCIEDADE EMPRESÁRIA deve estar consciente de que estes possuem características peculiares e específicas quanto à liquidez do investimento, consistindo, portanto como um investimento de longo prazo;

1.2. Riscos relacionados à rentabilidade do investimento: O investimento em contratos representativos de dívida conversível de uma empresa de pequeno porte através da BLOXS é uma aplicação de renda variável, o que pressupõe que a rentabilidade do investidor dependerá de marcos de êxito do negócio relacionado a cada operação. Poderá haver perda da totalidade do valor investido no caso de insucesso ou falência da SOCIEDADE EMPRESÁRIA;

1.3. Os valores mobiliários objeto desta oferta são emitidos de forma não escritural, ou seja, a sua guarda será de responsabilidade do próprio investidor;

1.4. O valor mobiliário ofertado é título representativo de dívida conversível em participação no capital social da SOCIEDADE EMPRESÁRIA com direito a voto em futura conversão do título em ações da Sociedade Anônima;

1.5. Há possibilidade de descontinuidade das operações da PLATAFORMA, o que pode afetar a obtenção de informações sobre o empreendimento SOLAR CONDOMÍNIOS e a empresa SOLAR21 ENERGIA SOLAR SPE S/A após realizada a oferta;

1.6. O investidor tem o direito de desistir do investimento sem incorrer em qualquer multa ou penalidade durante o período de desistência (7 dias).

2. Riscos associados ao investimento na SOCIEDADE EMPRESÁRIA:

2.1. Antes de tomar uma decisão de investir na SOCIEDADE EMPRESÁRIA, os investidores devem, considerando sua própria situação financeira, seus objetivos de investimento e o seu perfil de risco, avaliar, cuidadosamente, todas as informações disponíveis;

2.2. Risco relativo ao valor mobiliário face à propriedade dos ativos: A propriedade de contratos de mútuo da SOCIEDADE EMPRESÁRIA confere aos seus investidores a propriedade do patrimônio da mesma e seus ativos financeiros, quando da conversão do título em ações da Sociedade Anônima;

2.3. Não existência de garantia de eliminação total de riscos por parte da SOCIEDADE EMPRESÁRIA: A exposição do investidor aos riscos aos quais a SOCIEDADE EMPRESÁRIA está sujeito poderá acarretar perdas para os investidores.

2.4. Risco relacionado a prestação de informações: A SOCIEDADE EMPRESÁRIA não é registrada na CVM e por isto pode não haver prestação contínuas de informações sobre a empresa e sobre o empreendimento por ela desenvolvido. As informações sobre o empreendimento estarão disponíveis com atualização minimamente trimestral através a plataforma de investimento coletivo BLOXS.

3. Riscos tributários:

O risco tributário consiste basicamente na possibilidade de perdas decorrentes de eventual alteração da legislação tributária, mediante a criação de novos tributos, interpretação diversa da atual sobre a incidência de quaisquer tributos ou a revogação de isenções vigentes, sujeitando a SOCIEDADE EMPRESÁRIA ou seus investidores a novos recolhimentos não previstos inicialmente.

4. Riscos associados ao investimento em ativos fixos:

4.1. De desapropriação: Há possibilidade de que ocorra desapropriação, parcial ou total, do patrimônio da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, por decisão unilateral do Poder Público, a fim de atender finalidades de utilidade e interesse público;

4.2. De sinistro: Em caso de sinistro envolvendo a atividade da SOCIEDADE EMPRESÁRIA, os recursos obtidos pela cobertura dos seguros dependerão da capacidade de pagamento das companhias seguradoras contratadas, nos termos das apólices exigidas. Por outro lado, as coberturas contratadas poderão ser insuficientes para a reparação do dano sofrido, observadas as condições gerais das apólices;

4.3. Relativos à atividade comercial: É característica das vendas sofrerem variações em seus valores em função do comportamento da economia como um todo. Deve ser destacado que alguns fatores podem ocasionar o desaquecimento de diversos setores da economia, principalmente em decorrência das crises econômicas, sejam elas oriundas de outros países ou mesmo do nosso, com reflexo na redução do poder aquisitivo em geral;

4.4. Jurídicos e relacionados a processos judiciais: Toda a arquitetura do modelo financeiro, econômico e jurídico da SOCIEDADE EMPRESÁRIA considera um conjunto de rigores e obrigações de parte a parte estipuladas através de contratos públicos ou aprovados tendo por diretrizes a legislação em vigor. Entretanto, em razão da pouca maturidade e da falta de tradição e jurisprudência no mercado de capitais brasileiro, no que tange a este tipo de operação financeira, em situações atípicas ou conflitantes poderá haver perdas por parte dos investidores em razão do dispêndio de tempo e recursos para eficácia do arcabouço contratual. Apesar de a SOCIEDADE EMPRESÁRIA e seu administrador tomarem todas as cautelas necessárias com relação aos processos judiciais nos quais a SOCIEDADE EMPRESÁRIA figurará na qualidade de parte, existe o risco de que eventuais perdas em decorrência de tais procedimentos venham a superar os respectivos valores provisionados pela SOCIEDADE EMPRESÁRIA;

4.5. Relativos à variação cambial: O investimento nos equipamentos que constam do plano de negócios da SOCIEDADE EMPRESÁRIA considerou o valor de R$ 5,50 por US$ 1,00, valor este acima do câmbio de R$ 5,25 do dia 01/04/2020. Variações acima deste patamar podem demandar revisão do planejamento, a exemplo da redução na quantidade de usinas a serem implantadas.

4.6. Demais riscos: A SOCIEDADE EMPRESÁRIA e os ativos fixos também estão sujeitos a outros riscos advindos de motivos alheios ou exógenos, tais como moratória, guerras, revoluções, alterações na política econômica, decisões judiciais, etc.

Para maiores informações, recomendamos a leitura detalhada da MINUTA DO CONTRATO DE INVESTIMENTO, na seção PACOTE DE DOCUMENTOS JURÍDICOS.


7 INFORMAÇÕES SOBRE A REMUNERAÇÃO DA PLATAFORMA

A remuneração da BLOXS consiste em um percentual sobre o valor captado, caso a oferta obtenha sucesso, adicionado a um valor fixo. Não há cobrança de taxas sobre os rendimentos do investidor ou taxas administrativas. O pagamento da remuneração será feito exclusivamente pela SOCIEDADE EMPRESÁRIA para a plataforma abaixo identificada:

BTR SERVIÇOS DE PLATAFORMA ELETRONICA E CONSULTORIA EMPRESARIAL LTDA, pessoa jurídica de direito privado, estabelecida na Av. Tancredo Neves, nº 2539, EDF CEO, Torre Londres, na cidade de Salvador, Estado da Bahia, inscrita no CNPJ sob nº 29.131.261/0001-22, contato@bloxs.com.br, www.bloxs.com.br, fone (71) 3168-4000.


Investidores

42 pessoas investiram até o momento

D

A

M

E

A

G

D

A

J

A

D

L

R

M

A

R

A

M

B

G

L

F

L

+19

Sobre a Bloxs

Somos uma plataforma de investimento coletivo, que tem como missão fornecer acesso fácil a investimentos alternativos de qualidade. Tudo isso 100% online e com a segurança de um mercado regulado pela CVM (Instrução 588).

Com a Bloxs, você diversifica o seu portfólio, equilibra a sua volatilidade e sofistica a sua rentabilidade através de projetos de Private Equity na Economia Real, antes restrito a grandes fundos, investidores institucionais e family offices.

Acompanhe a evolução dos nossos projetos:

Baixar Relatório

+6 Mil

Investimentos ativos

+8 Milhões

Pagos para investidores

+92 Milhões

Captados

+11

Países alcançados

Quem investe com a gente

Dúvidas Frequentes

1 Este investimento é regulado pela CVM?

Sim, todos os investimentos ofertados através da Bloxs são regulados pela CVM através da Instrução CVM 588, a qual disciplina o funcionamento das plataformas eletrônicas de investimento coletivo. Acesse aqui o Ato Declaratório Nº 16.489 contendo a autorização da CVM.

2 Qual a diferença entre uma operação de Equity e de Dívida?

Operações do tipo DÍVIDA:
Investidor empresta o recurso para a Sociedade Investida durante 2 ou 3 anos, recebendo amortizações trimestrais/semestrais/anuais. Ao final recebe uma Remuneração Fixa (pré-estabelecida) e uma Remuneração Variável (em função da performance do negócio)

Operações do tipo EQUITY:
O investidor participa do negócio através de um Contrato de Investimento conversível em quotas/ações. Em geral são as Sociedades Investidas são constituídas como veículos exclusivos (empresas SPE LTDA ou S/A) de forma a segregar toda a movimentação operacional e financeira do negócio. O investidor passa a ter uma participação (%) dos benefícios econômicos desta empresa. Nesta modalidade, temos 03 modelos distintos:

  • EQUITY Direto - Investidor entra no Quadro Societário da empresa transformada em S/A, obrigatoriamente, em até 06 meses. Recebe dividendos periódicos isentos de IR.
  • EQUITY Indireto - Investidor não precisa entrar no Quadro Societário da empresa, recebendo remunerações periódicas e tendo o direito de converter em ações caso ocorra avenda dos ativos.
  • EQUITY Híbrido - Investidor fica com uma dívida durante 1 ou 2 anos, recebendo Remunerações Fixas. Ao final do prazo, existe uma "janela de conversão" onde é possível decidir por (i) converter em ações e entrar no Quadro Societário ou (ii) receber o dinheiro parcelado/remunerado em até 24x.

3 O que acontece se o valor a ser captado não for atingido?

Todas as captações possuem um Valor Alvo Mínimo em valor nunca inferior a 50% do Valor Alvo Máximo. As rodadas na Bloxs sempre definem o Alvo como o Mínimo, podendo permanecer aberta até alcançado o Valor Alvo Máximo. Caso o Valor Alvo Mínimo não seja alcançado até o final do prazo da oferta, o dinheiro é devolvido aos investidores.

4 Qualquer um pode investir?

Sim, qualquer pessoa, que possua CPF e conta bancária em seu nome pode investir. É possível também realizar o investimento através de empresas, patrimoniais e fundos, bastando realizar a abertura de conta e a reserva em nome da empresa. A liquidação da reserva deve ser feita através de uma conta bancária do mesmo CNPJ.

5 Quanto posso investir?

Você pode começar a investir a partir de R$ 25.000,00

6 Com base em que critérios os Projetos são selecionados para a plataforma?

Mais do que um "capital de giro" para empresas, os Projetos têm início/meio/fim. De cada 20 Projetos que analisamos, apenas 1 é selecionado. Alguns dos itens avaliados: (i) Histórico de realizações do empreendedor e da empresa; (ii) Parecer de crédito emitido por empresa especializada; (iii) Rentabilidade e Fluxo de Caixa do Projeto; (iv) Garantias disponibilizadas à operação.

7 Como garanto meu investimento?

O investidor se cadastra na plataforma, analisa os Projetos que estão com a captação aberta, define o valor que irá investir e realiza a transferência bancária ou pagamento do boleto. Em função de regulação da CVM e de forma a dar mais segurança às nossas operações, cada captação possui sua própria Conta Escrow. Estas contas são movimentadas apenas pela própria Instituição Financeira, reguladas e fiscalizadas pelo Banco Central. A partir do momento que for atestado o pagamento, o investidor receberá em até 5 dias úteis, após encerrada a oferta, o contrato assinado.

8 Como receberei o retorno do investimento?

Os pagamentos ocorrem diretamente na sua conta bancária cadastrada na Bloxs.

Operações do tipo DÍVIDA:
Você receberá o retorno do seu investimento através de pagamento de Amortizações ou Juros.

Operações do tipo EQUITY:
O retorno do investimento realizado ocorre através do pagamento da Remuneração Fixa/Variável ou de Dividendos. Em alguns Projetos, é possível que o retorno seja composto também por meio de venda da empresa/Projeto investido.

9 Como irei acompanhar as informações do projeto?

Todas as empresas que captam investimento por meio da plataforma Bloxs são obrigadas a fornecer atualizações aos seus investidores em periodicidade mínima trimestral.

O investimento pode ser acompanhado pela área interna de cada investidor. Este espaço disponibiliza todos os contratos e informações necessárias referentes ao investimento realizado, além de um chat para se comunicar com os outros investidores do seu Projeto. Caso não seja investidor ainda, você pode acompanhar parte das informações das Oportunidades Encerradas na seção "Investimentos".

10 Como será a tributação sobre o meu investimento e como declarar isso no meu Imposto de Renda?

Anualmente, a Bloxs disponibiliza o Informe de Rendimentos com todas as informações necessárias para a declaração de cada investidor.

Operações de DÍVIDA:
Você deverá declarar o seu investimento na seção "Bens e Direitos" como empréstimo, classificando-o como "Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva na Fonte". No momento do pagamento, o empreendedor irá reter o Imposto de Renda de acordo com a Tabela Regressiva (abaixo).

Período Alíquota
até 6 meses 22,50%
de 6 meses a 1 ano 20,00%
de 1 ano a 2 anos 17,50%
mais de 2 anos 15,00%

Operações de EQUTY:
As operações de Equity são também tributadas pela Tabela Regressiva e declaradas de igual maneira, até a conversão do Contrato em ações/cotas da empresa.
Após a conversão do Contrato de Investimento e entrada do investidor no Quadro Societário da empresa, o mesmo passa a receber dividendos, atualmente isentos de imposto no Brasil. Neste formato, sob eventual Ganho de Capital em caso de alienação das cotas/ações, incidirá 15% de tributação.

11 Quando e onde receberei meu contrato?

Seu Contrato de Investimento é disponibilizado na plataforma em até 5 dias úteis após o encerramento da oferta.

Oportunidades Abertas

Acompanhar evolução