Facebook Pixel

Nossa Tese

Nós acreditamos no poder da tecnologia para aproximar os investidores comuns de investimentos alternativos de alta performance com lastro na economia real e sólidas garantias contratuais.

Olá Investidor(a)!

Se você chegou até aqui, certamente quer entender mais a fundo sobre a proposta da nossa plataforma.

Você está na página certa.

Te convido a adentrar em nosso universo, conhecer a nossa história e o porque acreditamos que todo investidor precisa de investimentos alternativos em seu portfólio.

Vamos lá?

Evolução do Ambiente de Investimentos

Parece que foi ontem, mas lá se vão 16 anos desde que começamos no mundo dos investimentos. É inacreditável como o tempo passou rápido e principalmente como a forma, as opções e os produtos mudaram de lá para cá.

Junto com outros sócios, tivemos a oportunidade e o privilégio de vivenciar e participar do nascimento e desenvolvimento da atual indústria de investimentos, encerrando esse ciclo com a venda de 100% da nossa DTVM para uma grande gestora de recursos internacional em 2016.

Quando começamos em 2003, a SELIC estava em inacreditáveis 26,5% a.a.

Repito ...26,5% a.a!

Para quem não sabe, A TAXA SELIC é a referência dos juros vigentes no Brasil durante aquele período específico. Em bom português, é quanto renderia seu dinheiro “livre de risco” comprando um Título Público no TESOURO DIRETO por exemplo.

Ora, não precisamos ser PHDs em economia para supor que com uma taxa de juros de 26,5% a.a. e uma inflação 15% a.a. os investidores naturalmente se retraem e o seu apetite por risco some, afinal, para quê correr riscos em investimentos mais voláteis se aplicando em “qualquer” ativo de renda fixa o retorno era certo? Realmente não faz sentido.

Todavia o cenário felizmente mudou, e essa mudança traz novos desafios para os investidores que se habituaram a generosas taxas de juros com risco bastante baixo.


Juros Negativos no Mundo

No front global e mais precisamente nos países membros das OCDE investidores estão se acostumando a um mundo de juros negativos.

Exato, negativos. Imagine!

O investidor toma a decisão de comprar um título em que ele sabe antecipadamente irá perder parte de seu patrimônio. Parece algo louco, de história de ficção ou de um exercício abstrato de algum livro de teoria econômica. Mas não! Isto realmente está acontecendo, a primeira vez que vi um título negativo tirei foto da minha tela de cotações para guardar para a posteridade.




E no Brasil?

Por aqui, apesar dos percalços dos últimos anos estamos em um momento de retomada econômica com reflexos em um ciclo de forte queda da taxa de juros.

A taxa SELIC está em patamares históricos de 6% ao ano, considerando a meta de inflação de 2019 de 4,25%, temos um juro real para o investidor de 1,75%.




Não só isso, ao que tudo indica o viés é de mais cortes:




Analisando esse contexto, tanto no front externo quanto interno, não temos dúvidas que o cenário de alta liquidez mundial, juros negativos em determinadas economias e os baixos retornos da renda fixa tradicional no Brasil podem ser considerados como o NOVO NORMAL.

O que então os investidores podem fazer para melhorar seus rendimentos diante desse cenário?

Investimentos, Acessibilidade e Tecnologia

O surgimento de novas alternativas de investimento, ancoradas no fenômeno “fintechs” e a disrupção tecnológica estão entre as grandes oportunidades de geração de riqueza nos próximos anos no Brasil e VOCÊ pode e deve entender esse movimento para tirar proveito dele.

O que outrora era acessível somente a investidores institucionais, family offices e clientes UHNW (Ultra High Net Worth) tornou-se viável para investidores comuns como eu e você.

Estamos convictos que o Brasil continuará a trilhar o caminho da prosperidade.

É verdade que ainda estamos atravessando uma grave crise política e econômica, mas esse fato inclusive, reforça a tese de que temos uma economia sólida como uma rocha para aguentar tanto desaforo e ainda assim conseguir se reerguer com tanta velocidade como demonstram as projeções e expectativas futuras.

Nós acreditamos que estamos no momento certo e que as oportunidades na ECONOMIA REAL estão aí; aos montes.

Nos últimos 3 anos nos dedicamos MUITO em estudar as lacunas e ineficiências de 5 setores específicos.

Fomos a campo.

Literalmente gastamos SOLA DE SAPATO, viajando, conversando com profissionais, realizando investimentos pessoais nesses setores e fazendo conexões, muitas conexões, tudo isso, para formatar a nossa tese e possibilitar a criação de uma rede de ESTRUTURADORES PROFISSIONAIS.


icon-bloxs Imobiliária

icon-bloxs Energia

icon-bloxs Ativos judiciais

icon-bloxs Agronegócio

icon-bloxs Comercial



Com a evolução da regulamentação através da ICVM 588 e a capacidade de originação e capilaridade dadas pela tecnologia, torna-se possível acessar essas oportunidades, que certamente farão a diferença no futuro entre uma carteira de investimentos mediana e uma de carteira de alta performance sem adicionar, entretanto, VOLATILIDADE ao seu portfólio.


Perfil do nosso Investidor

Agora que você já entendeu um pouco da nossa visão sobre o mercado e como realmente acreditamos que as alocações devam ser encaradas daqui para frente, é importante falarmos sobre como a nossa plataforma enxerga o relacionamento com você: nosso investidor.

Nós acreditamos em relações de LONGO PRAZO.

Encaramos a nossa plataforma como um veículo adicional no processo de geração, crescimento ou manutenção de património. Uma forma de dar acesso a investidores comuns a oportunidades de investimentos rentáveis, exclusivas e com lastro em atividades da economia real.

Nosso background como já dito em outras oportunidades vem do Wealth Managment, então, quando olhamos para nossos clientes sempre o enxergamos de forma ampla, holistica como dizem por ai.

Nós entendemos a importância da DIVERSIFICAÇÃO na montagem de um portfólio e por isso é fundamental que o NOSSO CLIENTE entenda que aqui é o local para ele alocar PARTE do seu portfólio complementando seu portfólio global.

Abordaremos isso mais adiante, porém, sempre que somos perguntados quantos % devem ser alocados em investimentos alternativos a respostas sempre é a mesma…

DEPENDE DO SEU PERFIL.

Tradicionalmente o mercado divide os investidores em 3 categorias.

Conservador: Busca o máximo de segurança, mesmo que isso signifique menor retorno. Prefere investimentos de renda fixa e de grande liquidez.

Moderado: É o meio termo. Investe em renda fixa e em renda variável buscando o melhor equilíbrio entre segurança, liquidez e rentabilidade.

Experiente: Busca a maior rentabilidade possível. Faz gerenciamento de risco e aceita rentabilidades negativas no curto e no médio prazo para ter um potencial de retorno maior no longo prazo.

Podemos dizer então que nossos clientes são aqueles com perfil MODERADO a EXPERIENTE (não são agressivos) que alocam até 30% do seu portfólio global em operações estruturadas.

Vejamos a alocação global desse cliente como exemplo:

Posição consolidade da carteira em 02/09/2019

Ativo Saldo Bruto Provisão de IR+IOF Saldo Líquido %
Ações 441.155,02 21.173,25 419.981,76 33,45
BOVA11 441.155,02 21.173,25 419.981,76 33,45
Fundo Multimercado 122.355,86 454,66 121.901,20 9,71
Bahia Am Maraú FICFI MM 122.355,86 454,66 121.901,20 9,71
Fundo de Ações 132.491,63 4.873,74 127.617,89 10,16
BTG Pactual Absoluto Ls FICFI de Ações 132.491,63 4.873,74 127.617,89 10,16
Fundo de Renda Fixa 228.594,14 574,78 228.019,37 18,16
Af Invest FI RF Créd Priv Geraes 228.594,14 574,78 228.019,37 18,16
Outros 358.189,41 0,00 358.189,41 28,52
Portfólio Investimentos Alternativos 358.189,41 0,00 358.189,41 28,52
Total 1.282.786,06 27.076,43 1.255.709,63 100,00


O que então vai determinar o percentual de alocação, além do seu perfil, é a sua relação entre risco, liquidez e retorno desejado.



A Tríade dos Investimentos

Qual o investimento perfeito ? É aquele RENTÁVEL, SEM RISCO e LÍQUIDO.

O problema é que esse investimento NÃO EXISTE.

Na verdade, o investidor deve sempre desconfiar quando estiver diante de alguma promessa de investimento que traga esses 3 fatores ao mesmo tempo, afinal, para se ter um tem-se que abrir mão do outro.

A liquidez pode ser entendida como a velocidade na qual podemos resgatar um investimento e transformá-lo em dinheiro disponível para uso.

A segurança ou risco é a nossa capacidade de suportar perdas do valor investido.

E a rentabilidade é o retorno máximo que um investimento específico pode ter.

Saber dosar esses três fatores é o segredo do sucesso e vai determinar o quanto do seu portfólio será destinado a cada classe de ativos.

O Investimento via Bloxs

Quando você investe em uma operação em nossa plataforma seu recurso será destinado ao ofertante para o desenvolvimento daquela atividade ( Ex. Incorporação imobiliária, Usina Solar, Aluguel de veiculos, etc).

Tudo é feito através de um CONTRATO DE INVESTIMENTOS que é um TÍTULO DE VALOR MOBILIÁRIO nos termos da ICVM 588.

Principais Características e Riscos

ALTA RENTABILIDADE

As operações possuem retornos variáveis que giram em torno de 12% a 25% ao ano.

As oportunidades são estruturadas levando em consideração as características do segmento lastro e as ineficiências ali existentes.

Primamos pelo conceito “win-win”, ou seja, quanto mais o ofertante ganha com a operação mais o investidor ganha tendo sempre como foco a proteção do principal do investidor através das garantias.

RISCO DE CRÉDITO

Esse é o principal risco envolvido em nossas operações.

A mitigação desse risco vem de uma criteriosa análise da empresa ofertante, profundo conhecimento do segmento, e GARANTIAS ( real, aval, bens móveis, recebíveis, etc).

Porém, é importante ressaltar que quando uma empresa se torna inadimplente, o pagamento dos títulos serão buscados através de um processo de execução.

Dessa forma, mesmo com o default, os detentores de títulos ainda têm maior segurança do que os investidores que compraram ações da empresa, por exemplo.

BAIXA LIQUIDEZ

Os prazos das operações são normalmente de 12 a 36 meses.

Embora exista a possibilidade de cessão do seu contrato de investimento para terceiros interessados, não há um mercado secundário organizado para a venda desses títulos.

Como montar uma carteira com investimentos alternativos

Se você chegou até aqui certamente já entendeu a nossa visão para alocação, a necessidade de respeitar seu perfil como investidor e de entender a relação risco, retorno, liquidez.

Para montar um portfólio de alta performance para o momento atual, com altos retornos, o nome do jogo é DIVERSIFICAÇÃO.

É necessário compreender que uma ou outra classe de ativos não é melhor nem pior que outra, ela apenas é mais adequada a um determinado perfil de investidor. De maneira geral, o que existe é investimento inadequado, e não investimento ruim.

A diversificação dentro da alocação se faz importante para diminuir o risco de uma carteira de investimentos e melhorar a rentabilidade. Além da diversificação entre as diferentes classes de ativos, no caso da BLOXS, é importante diversificar entre as diferentes ofertas, de forma a mitigar o risco de crédito e de performance atrelados a cada oferta.

Diante disso, vamos analisar 2 cenários de alocação para um investidor MODERADO, sem uma grande necessidade de liquidez imediata e R$ 1M e liquidez para alocação em sua carteira global.

Vale ressaltar que esse investidor hipotético já aloca seus recursos através de uma casa de investimentos independente e conta com a ajuda de um assessor, ou seja, ele tem acesso aos melhores produtos do mercado.

A análise considera os últimos 12 meses com data base em 03/09/2018 a 02/09/2019 e foram rodadas no sistema profissional de consolidação Comdinheiro.

CARTEIRA MODERADA SEM INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS

Posição consolidade da carteira em 02/09/2019

Ativo Saldo Bruto Provisão de IR+IOF Saldo Líquido %
Fundo Multimercado 538.516,11 2.014,84 536.501,26 45,40
Bahia Am Maraú FICFI MM 183.533,77 681,99 182.851,78 15,47
Adam Macro Strategy Advisory FICFI MM 174.992,71 212,80 174.779,91 14,79
Truxt Macro Advisory FICFI MM 179.989,63 1.120,05 178.869,58 15,14
Fundo de Ações 198.737,45 7.310,62 191.426,83 16,20
BTG Pactual Absoluto Ls FICFI de Ações 198.737,45 7.310,62 191.426,83 16,20
Fundo de Renda Fixa 454.787,52 1.105,47 453.682,06 38,40
Af Invest FI RF Créd Priv Geraes 284.947,88 716,47 284.231,41 24,05
Sparta Top FICFI RF Créd Priv LP 169.839,65 389,00 169.450,65 14,34
Total 1.192.041,08 10.430,93 1.181.610,15 100,00

Rendimento Nominal da Carteira x Benchmark

Mês atual Ano atual 12 meses 24 meses No período
Rend. Nominal 557,73 75.470,52 102.947,57 197.121,66 102.947,57
Carteira 0,05 6,74 9,41 19,60 9,41
CDI 0,02 4,20 6,27 13,49 6,28
IBOV -0,50 14,49 32,07 39,51 32,07

Fluxo de Resgate

Tempo de resgate (DC) Valor %
D0 a D1 (R$) 284.231,41 24,05
D2 a D5 (R$) 0,00 0,00
D6 a D30 (R$) 0,00 0,00
D31 ou mais (R$) 897.378,74 75,95
Não identificado (R$) 0,00 0,00


Posso dizer que estamos diante de um BOM PORTFÓLIO. Uma carteira com um risco diversificado e um retorno acumulado do período de 12 meses maior que 150% do CDI.

Para tentar gerar mais retorno neste portfólio, tradicionalmente, o caminho natural seria adicionar mais risco, mais volatilidade como por exemplo ações, derivativos, alavancagem, etc.

Mas esse não precisa ser mais o único caminho.

Podemos adicionar retorno, reduzir a volatilidade abrindo mão de um pouco de LIQUIDEZ através dos INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS.

Vejamos:

CARTEIRA MODERADA COM INVESTIMENTOS ALTERNATIVOS

Posição consolidade da carteira em 02/09/2019

Ativo Saldo Bruto Provisão de IR+IOF Saldo Líquido %
Fundo Multimercado 359.010,77 1.343,23 357.667,54 30,35
Bahia Am Maraú FICFI MM 122.355,86 454,66 121.901,20 10,34
Adam Macro Strategy Advisory FICFI MM 116.661,81 141,87 116.519,94 9,89
Truxt Macro Advisory FICFI MM 119.993,10 746,70 119.246,40 10,12
Fundo de Ações 132.491,63 4.873,74 127.617,89 10,83
BTG Pactual Absoluto Ls FICFI de Ações 132.491,63 4.873,74 127.617,89 10,83
Fundo de Renda Fixa 455.587,81 1.120,16 454.467,65 38,56
Af Invest FI RF Créd Priv Geraes 342.361,35 860,83 341.500,52 28,98
Sparta Top FICFI RF Créd Priv LP 113.226,46 259,33 112.967,12 9,59
Outros 238.792,94 0,00 238.792,94 20,26
Portfólio Investimentos Alternativos 238.792,94 0,00 238.792,94 20,26
Total 1.185.883,14 7.337,13 1.178.546,01 100,00

Rendimento Nominal da Carteira x Benchmark

Mês atual Ano atual 12 meses 24 meses No período
Rend. Nominal 409,48 79.324,92 110.943,86 190.849,65 110.943,86
Carteira 0,03 7,15 10,28 20,66 10,28
CDI 0,02 4,20 6,27 13,49 6,28
IBOV -0,50 14,49 32,07 39,51 32,07

Fluxo de Resgate

Tempo de resgate (DC) Valor %
D0 a D1 (R$) 341.500,52 28,98
D2 a D5 (R$) 0,00 0,00
D6 a D30 (R$) 0,00 0,00
D31 ou mais (R$) 598.252,55 50,76
Não identificado (R$) 238.792,94 20,26


Nesse cenário, o primeiro ponto a se observar é a suavização da volatilidade da carteira. Partindo para analisar os retornos, com uma alocação de 20% em produtos alternativos conseguimos adicionar alpha elevando o retorno do portfólio para 170% do CDI no período.


Por óbvio, que quanto a maior a parcela dos investimentos sejam destinadas aos produtos alternativos maior será esse spread entre uma carteira e a outra.

Poderíamos aqui simplesmente trazer um portfólio com 40%, 50% nessa classe de ativos e isso certamente iria apresentar um retorno extraordinário, porém, isso não é a vida real e não seria honesto com você, nosso investidor, que leu até aqui esse conteúdo.

Fora do mundo da fantasia, entendemos as dificuldades que você tem em rentabilizar melhor os seus investimentos, acreditamos e trabalhamos diariamente para que você possa alocar parte dos seus recursos através da nossa plataforma - entre 10% a 30% - em operações rentáveis lastreadas na economia real.

Por fim, caso isso tenha feito sentido para você e você tenha dúvidas de como a Bloxs pode ajudar com seus investimentos, queremos te fazer um convite….

Agende uma videoconferência conosco para falar sobre os investimentos alternativos em seu portfólio individual.

Regulado por:

CVM

Plataforma autorizada pela CVM de acordo com o Ato Declaratório 16.489, de 19/7/2018.

As sociedades empresárias de pequeno porte e as ofertas apresentadas nesta plataforma estão automaticamente dispensadas de registro pela Comissãode Valores Mobiliários - CVM. A CVM não analisa previamente as ofertas. As ofertas realizadas não implicam por parte da CVM a garantia da veracidade das informações prestadas, de adequação à legislação vigente ou julgamento sobre a qualidade da sociedade empresária de pequeno porte.